Busão das Artes tem nova parada na Praça Mauá

Busão das Artes tem nova parada na Praça Mauá

Agora chegou a vez da praça Mauá receber o Busão das Artes. É a sua terceira parada. O Busão já passou pela Gávea e por Madureira. Com visitação gratuita, o projeto é um caminhão de 15 metros adaptado para receber trabalhos de artes visuais e experimentos interativos de abordagem científica.

A idealização é do curador e criador interdisciplinar Marcello Dantas em parceria com o físico Luiz Alberto Rezende de Oliveira, ex-curador do Museu do Amanhã. O Busão é um projeto realizado por três mulheres: Renata Lima, que dirige a Das Lima Produções; e a dupla Lilian Pieroni e Luciana Levacov, da Carioca DNA.

A iniciativa apresenta duas vertentes: uma ambiental, que trata das bactérias e de seu papel em nosso ecossistema; e outra científica, que aborda nosso conhecimento sobre o organismo humano. E quem guia o visitante por esse universo tão rico e pouco explorado está invisível aos olhos: fungos e bactérias.

Quem for ao Busão vai descobrir, com uma pitada de humor, que há mais de um quatrilhão de bactérias na Terra, dos quais 100 bilhões habitam o corpo humano, e 99,99% ainda sequer foram descobertas.

Outra curiosidade é a mais completa biometria de um ser humano: a microflora do umbigo (mais identitária do que qualquer outra forma de tornar único um indivíduo). Ela está representada nas fotos do artista plástico Vik Muniz que, em parceria com o engenheiro biomédico Tal Danino, fez retratos bacteriológicos de personalidades brasileiras.

A Vida Vem da Luz Invisível — Os Povos que Moram no Nosso Corpo: obra de Jaider Esbell – Filipe Berndt/Divulgação

Já o artista Jaider Esbell (1979-2021), indígena da etnia Macuxi, apresenta a obra “A vida vem da luz invisível — Os povos que moram no nosso corpo”. Produzido especialmente para o Busão, com 120×140 cm, o trabalho faz alusão à constante metamorfose que é a vida.

Para o curador, em razão da pandemia do Covid-19, as pessoas acabaram aprendendo mais sobre uma série de processos não perceptíveis a olho nu, mas que mudam o curso da história. Essa dimensão microbial, seja do fungo, da bactéria ou do vírus, está ativa e tem muito a nos dizer: “É preciso inocular na cabeça das pessoas a consciência sobre essas dinâmicas e usar a arte como plataforma para entender as forças que estão em constante relação”, afirma Marcello.

Na parte externa do Busão há recipientes com perguntas para que os visitantes possam refletir sobre o que viram e sobre a própria condição humana.

Serviço:

Busão das Artes

Parada: Praça Mauá

16/fev/2022 a 19/fev/2022 – quarta a sábado

21/fev/2022 a 24/fev/2022 – segunda a quinta

Encerramento: 24 de fevereiro de 2022

Horário de funcionamento: das 9h às 17h

Horários das visitas agendadas: das 9h às 11h e das 15h às 17h

Informações: https://www.busaodasartes.com.br/

Entrada gratuita



X